Skip to content


Como lidar com os filhos

O bem estar da criança está intimamente ligado com a habilidade de seus pais. Não é incomum encontrar, na clínica infantil, crianças cujos problemas poderiam ser resolvidos caso os pais tivessem alguma instrução sobre análise do comportamento. Este pequeno guia sobre como lidar com os filhos tem o objetivo de prevenir problemas e fornecer ferramentas aos pais para resolverem possíveis problemas de comportamento dos filhos.

pais e filhos

POR QUE NOS COMPORTAMOS?

Para começar, vamos entender por que nos comportamos.

O mais importante a saber é que fazemos o que fazemos porque fomos ensinados. Tudo o que fazemos é aprendido, até mesmo os comportamentos inadequados dos nossos filhos. Se os pais não ajudam o filho na escola, não pedem para eles arrumarem o quarto, não se preocupam se eles saem à noite, com certeza as crianças vão aprender que não precisam estudar, não precisam arrumar o quarto e podem sair para onde quiserem. O fato de que comportamentos são aprendidos é uma boa notícia: significa que podemos ensinar maneiras diferentes de agir. Podemos identificar quais são os comportamentos dos nossos filhos que são inadequados, e criar situações para que eles aprendam melhores formas de se comportar. Para isso, precisamos entender melhor sobre os motivos do comportamento.

Em primeiro lugar, as pessoas se comportam para conseguir algo que querem. Por exemplo: abrimos a geladeira para pegar água, vamos à escola para aprender, convidamos nossos amigos para brincar porque eles nos fazem bem, e assim por diante. Também nos comportamos para evitar algo que é desagradável. Por exemplo: colocamos blusas quando está frio, estudamos para não ir mal à prova, tiramos o sapato se há uma pedra, etc.

Outra propriedade importante do comportamento é que ele é diferente em lugares diferentes. O comportamento na sala de aula difere do comportamento no recreio. As ações diante do chefe diferem das realizada na presença do marido ou da esposa. É importante saber disso porque é comum que nossos filhos se comportem de maneira inadequada com o pai, mas não com a mãe, ou somente na escola e nunca em casa. Se conseguirmos identificar em que situações e com quais pessoas nossos filhos se comportam de forma errada, mais facilmente podemos corrigir esse comportamento.

Vamos usar o exemplo da criança que faz arte na presença do pai e não da mãe. Podemos supor que parte do problema está no fato de que o pai não deve estar estabelecendo regras para a criança, enquanto a mãe consegue impor limites. Agora imaginem uma criança que só estuda na véspera da prova. Muito provavelmente ela faz isso porque os pais não a incentivam a estudar um pouco a cada dia. Se a criança cuidada pela avó faz birra somente quando a mãe, que trabalha o dia todo, chega em casa, isso pode significar que ela está tentando chamar a atenção da mãe com a birra. Esses exemplos mostram a importância de saber em quais situações e com quais pessoas as crianças se comportam inadequadamente. A identificação desses momentos é fundamental para planejar a mudança do comportamento.

A RESPONSABILIDADE DOS PAIS

Pai e filho estudandoOs pais, se desejam ajudar os filhos a corrigir comportamentos problemáticos, devem assumir a responsabilidade pelo que está acontecendo. O que os filhos fazem está relacionado com o comportamento dos pais. Portanto, há sempre algo que pode ser feito para o bem das crianças. É fundamental que os pais assumam a responsabilidade porque eles são as pessoas mais importantes para os filhos e é principalmente na convivência familiar que a criança se desenvolve.

Agora que já foi falado sobre os motivos do comportamento, os pais precisam saber que existem quatro formas diferente de lidar com as ações dos filhos.

A primeira e mais recomendável forma de lidar com os comportamentos dos filhos é premiar as ações positivas com elogios, carinhos, presentes, passeios, comidas preferidas, etc. O comportamento positivo premiado tende a ocorrer novamente. Esse prêmio, no entanto, não deve vir após uma ameaça e deve ocorrer da forma mais natural e menos planejada possível. O prêmio também não deve ser apresentado sempre, mas apenas de vez em quando. Crianças que ouvem palavras de incentivo dos pais crescem felizes, saudáveis e autoconfiantes. Os melhores pais são aqueles capazes de dar atenção aos filhos. É preciso tomar cuidado para o prêmio não virar chantagem. Repito: o prêmio (seja carinho, passeio, etc) deve ser o mais natural e menos planejado possível. Pais que premiam sempre e fazem todas as vontades dos filhos podem estar criando crianças mimadas que terão problemas de se adaptar à realidade. Crianças que têm tudo o que querem não desenvolvem autoconfiança e têm dificuldades em lidar com a frustração.

A segunda forma de lidar com os comportamentos dos filhos é não fazer nada. Há pais que, independentemente do que os filhos fazem, seja bom ou ruim, nada fazem: não dão prêmios ou broncas, não fazem carinhos nem deixam de castigo. Pais que não se importam para o que os filhos fazem podem estar criando adultos com dificuldade de aprendizagem, com baixa auto-estima e baixa autoconfiança. Essas crianças podem se tornar adultos apáticos, incapazes até mesmo de conhecer suas próprias preferências.

A terceira forma é motivar o filho com algum tipo de ameaça. Por exemplo, há pais que criam regras como “se você não estudar, vai ficar de castigo” ou “ou você arruma o quarto ou vai apanhar”, e assim por diante. Essa forma de lidar com as ações dos filhos apenas empurram o problema para frente, mas não o resolvem. Filhos que crescem recebendo ameaças não são capazes de entender o porquê devem se comportar de maneira positiva. Serão adultos desconfiados e com medo de errarem.

A quarta forma é brigar ou bater nos filhos sempre que eles fazem algo errado. Apesar de parecer a mais funcional das formas, é a menos recomendada. Filhos que apanham ou são xingados pelos pais se tornam adultos violentos, sem nenhum amor próprio e sem autoconfiança. Alguns estudos correlacionam a violência na infância com criminalidade. Por isso, bater ou xingar é a pior maneira de lidar com os filhos. Sempre que possível, os pais devem evitar punir suas crianças. Como dito anteriormente, é muito melhor ensinar os filhos por meio da premiação.

DO QUE AS CRIANÇAS GOSTAM

crianças pulandoAgora que os pais sabem a melhor forma de lidar com os comportamentos dos filhos, é válido falar sobre o que as crianças gostam. Se os pais souberem o que é importante para seus filhos, é mais fácil que cuidem deles com atenção e carinho.

Segue uma lista de coisas que as crianças gostam:

1. Brincar: a brincadeira é fundamental para as crianças aprenderem a se relacionar socialmente e conhecer seus limites. Por meio das brincadeiras, elas desenvolvem sua inteligência, imaginação e passam a aprender a diferenciar suas preferências das de outras pessoas.

2. Receber carinho e atenção: tanto meninas quanto meninos gostam de receber carinho e atenção dos pais. Carinho faz com que as crianças se sintam felizes, possibilitando que cresçam com saúde, auto-estima e autoconfiança.

3. Ser ouvido: permita que seus filhos contem histórias, ainda que fantasiosas. Ser ouvido faz com que a criança se sinta valorizada.

4. Poder decidir: meninos e meninas adoram tomar decisões. Uma vez por semana, deixe seu filho escolher o jantar. Permita que ele escolha qual canal assistir, qual refeição comer, etc. Isso é ótimo para autoconfiança dele e ajuda no crescimento saudável.

5. Aprender coisas novas: crianças são curiosas por natureza. Elas gostam de explorar o ambiente, fazer perguntas, etc. Ajudem-nas nisso. Crianças incentivadas a aprender se tornam mais inteligentes e capazes. Portanto, respondam as dúvidas dos seus filhos.

6. Não ser comparado: não é correto comparar um dos seus filhos com seus irmãos ou com outras crianças. Cada pessoa é única e deve ser tratada assim.

7. Ser valorizado: meninos meninas adoram quando os pais prestam atenção no que fazem e elogiam seu trabalho. Elogiar e prestar atenção é uma boa maneira de criar auto-estima e autoconfiança.

COMO VOCÊ DEVE TRATAR SEU FILHO

crianças estudandoA melhor forma de evitar dificuldades é prevenindo sua ocorrência. Um lar pacífico evita crianças com problemas de comportamento. Hoje em dia, a pressão do trabalho é grande. Os pais chegam em casa estressados e cansados e não têm vontade, ou tempo, de estar com os filhos. É compreensível. No entanto, isso não pode servir como desculpa para uma má educação. Se os pais se esforçarem e criarem um ambiente agradável em casa, vão chegar do trabalho com mais energia, pois vão encontrar paz e o carinhos dos filhos. Se os pais não dão atenção ao lar, o caos se forma e chegar do trabalho pode se tornar desagradável. Portanto, investir na paz em casa é benéfico tanto para os pais quanto para os filhos.

Seguem algumas dicas para um ambiente saudável e para lidar adequadamente com as crianças:

1. Seja honesto e direto com seus filhos. Às vezes as crianças fazem perguntas desconcertantes, ou querem saber o motivo de certas proibições. O melhor caminho a tomar é explicar para os filhos as razões de tudo. Se uma criança entender por que deve olhar para os dois lados antes de atravessar a rua, é muito mais provável que faça isso com cuidado do que se simplesmente ouvir a regra e levar bronca no caso de não segui-la.

2. Tenha certeza de que ensinou o comportamento correto. Muitas vezes exigimos que nossos filhos façam as coisas do nosso jeito, mas não ensinamos exatamente como é esse jeito. Então, antes de brigar com seu filho, tenha certeza de que você deixou claro para ele qual é a maneira correta de se comportar.

3. Todas as pessoas são diferentes. Lembre-se sempre que cada pessoa é única e tem gostos e preferências particulares. Antes de dar uma ordem, de brigar com seu filho, de dizer que ele não faz nada direito, pense nas preferências dele. Não é justo exigir que todas as pessoas sejam iguais a você. É saudável respeitar as particularidades das pessoas.

4. Seja firme, mas não punitivo. Já foi falado sobre o problema de ser punitivo, mas não dos benefícios de ser firme. Ter firmeza significa não voltar atrás nas suas decisões. Uma proibição deve se manter uma proibição até que a situação mude de alguma forma. Pais que voltam atrás em suas decisões podem gerar filhos sem limites. Por exemplo: é muito comum que os pais deixem o filho de castigo, mas o tirem com antecedência por ficarem com dó da criança. Ser firme, nesse caso, consiste em não tirar a criança do castigo até que a determinação inicial tenha sido cumprida.

5. Passe um tempo com seu filho. Após chegar do trabalho, ou nos fins de semana, passe um tempo com seu filho. O ideal é conversar um pouco e brincar com ele. Se não for possível, pelo menos jantem no mesmo horário e assistam ao programa favorito da criança. Filhos que não passam tempo com os pais podem desenvolver problemas em relacionamentos e dificuldade em confiar em outras pessoas.

6. Interesse-se pelas tarefas da escola. É comum que os pais pensem que o filho tem a obrigação de estudar. Isso é só parcialmente correto. Os filhos devem, sim, freqüentar a escola, mas ao invés de serem forçados, devem ser incentivados a isso. Pais que se interessam pelo que aconteceu na escola, que vistam as tarefas escolares, que ajudam os filhos a estudarem para as provas e que participam dos eventos da escola, estão contribuindo não só para a formação imediata do filho, mas para seu futuro de interesse pelos estudos. Não é preciso saber sobre o que os filhos estão estudando. Mostrar interesse basta para incentivar a criança.

7. Sejam coerentes. Há pais que dividem os papéis. Um deles é o liberal e o outro, o chato. Isso deve ser evitado. O ideal é que os pais entrem em acordo sobre os limites dos filhos e sobre possíveis punições ou prêmios. Pais discordantes podem deixar o filho confuso, além do fato de que as crianças podem passar a preferir um do pais ao outro, o que não é desejável nem saudável.

8. Imponha limites. Crianças precisam saber até onde podem ir. Tratar bem o filho não é sinônimo de deixá-los fazer o que bem entenderem. Os limites são importantes, pois protegem os filhos de fazerem algo perigoso ou que pode ser socialmente considerado ruim. Por meio dos limites, as crianças aprendem que há regras no mundo e que é preciso obedecê-las como todos fazem. Os limites devem ser pensados para não serem muitos nem poucos. Crianças com muitos limites crescem com medo de errarem e arriscarem. Crianças com poucos limites podem se tornar sem valores morais.

9. Reconheça seus erros. Ninguém é infalível. Se você cometeu algum erro com seu filho, não tenha medo de admitir. Além de fazer bem para você e para a criança, isso vai ensiná-la a se responsabilizar por seus atos.

10. Converse também sobre assuntos delicados. Muitas crianças têm curiosidade sobre sexo, morte ou outros assuntos do tipo. O ideal é não esconder delas o que são essas coisas, e falar sobre esses temas de uma forma apropriada para cada idade. Uma criança de 7 anos não precisa saber tudo sobre sexo, mas é bom que saiba o que é isso. Já uma criança de 16 anos precisa saber tudo sobre sua sexualidade. Apesar de esses assuntos serem tabus, eles precisam ser tratados. A honestidade e clareza com a criança pode prevenir problemas futuros.

11. Seja um modelo. Filhos imitam os pais. É injusto exigir do filho um comportamento que os pais não demonstram.

12. Procure ajuda. Caso essas dicas não ajudem, procurem ajuda de um profissional. Problemas graves, como abuso de drogas, podem requerer auxílio de uma pessoa especializada no problema. Não há vergonha em pedir ajuda. Pelo contrário, é nobre querer ajudar o filho.

Essas dicas encerram este pequeno guia. Caso tenha contribuições para complementá-los, deixe-as nos comentários. Caso queria, conheça o serviço de Treino de Pais.

Robson Faggiani

Se você gostou deste texto, talvez se interesse por esses:

  1. Não se brinca mais como antigamente… Os novos tempos acabaram trazendo muito mais do que novas tecnologias. As velhas brincadeiras das crianças, principalmente as da decada de 80, foram substituidas por novas formas de divertimento. Alguns puramente virtuais. O presente artigo pretende discutir a função das novas formas de diversão e os impactos para a saude fisica, psicológica e os impactos no coletivo....
  2. Crianças Birrentas – O que fazer ?? Todos nós ja vimos alguma vez na vida uma criança birrenta. Aquelas que se jogam no chão, gritam e que tem um poder inacreditavel de constranger os pais caso seus desejos nao sejam saciados imediatamente. Esse artigo discute como lidar com essas crianças e desenvolver estratégias para mudar comportamentos problemas....
  3. Como os pais podem contribuir com a vida escolar de seu filho? O final do ano está chegando. Com ele se intensificam a pressão por boas notas e o nível de estresse em casa; especialmente nos casos onde a criança não teve um bom rendimento no decorrer do ano letivo e está correndo risco de não passar. Muitos pais encontram-se totalmente sem saber o que fazer diante [...]...
  4. O uso da Punição como agente educador   Geralmente a tarefa de ser pai ou mãe é realmente muito ardua e trabalhosa, mas sempre muito recompensadora. Os pais tendem a ficar muito angustiados com comportamentos que seus filhos apresentam, especialmente quando  esses comportamento produzem algum tipo de problema. Esta conduta comumente é chamada pelo senso comum de disfuncional; e os comportamentos causadores do problema, [...]...
  5. Como escolher uma abordagem – parte 1 É bastante comum que os alunos do curso de Psicologia tenham dúvidas sobre qual abordagem seguir profissionalmente. Não é realmente uma escolha fácil. De certo modo, a escolha da abordagem é como uma segunda opção de profissão. Neste texto vou comentar sobre alguns fatos que os alunos devem considerar antes de tomar essa decisão. Existe um [...]...

Posted in Educativos. Tagged with , , , , .

34 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Dá para sintetizar muitas das informações aqui apresentadas na seguinte frase: trate seu filho da forma que você trataria o adulto que você quer que ele seja.
    Excelente teu texto!

  2. Robson Brino Faggiani said

    Obrigado, Claudio.
    Seja sempre bem vindo.

  3. Cynthia said

    Achei muito interessante seu site e principalmente esse texto. Concordo com o que foi tratado, mas o que se pode dizer quando filhos que recebem a mesma “criação” possuem comportamentos tão diferentes? Pergunto isso porque vivencio essa situação: sou completamente diferente do meu irmão, na forma de pensar, agir etc. E meus pais tem problemas com a educação dele. Só que eles não me escutam muito quando tento mostrar a eles um pouco do que está escrito nesse texto. Eles ficam chateados por perceber que erraram. Não sei o que fazer.

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

  4. wedja kelly said

    eu adoro meus dois filhos,sou separada,cuido deles sozinha,pra escola e para educação,e nesse espaço que eu entrei foi divertido, porque aprendi como lhe dar com eles um pouco.muito OBG.

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

  5. sabide said

    mutxo baum !!
    gostei mutxo viuu
    me ajudou bastante msm
    vlw !

    bjonaummeliga

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

  6. ane said

    parabéns querido!! muito edificante sua reportagem..!!

  7. lolobrigida said

    aaaamei !! *–*

  8. ok, você estar de parabens por esse artigo, tirei sim ensinamentos para o meu dia a dia; valeu e muito obrigado.

  9. Flávia said

    Ótimo texto! Amei! Você sintetizou tudo que todos os pais e educadores devem e precisam saber!!!! Parabéns!

  10. lucia said

    adorei os textos.Tudo de bom.

  11. nadja said

    Robson Faggiani essa dicas forão maravihosas até passei para as minhas amigas.

  12. alecsandra geronazzo said

    amei pois foi muito util para mim,tenho um filho de tres anos que entrou este ano na escola ,seu comportamento mudou radicalmente antes uma criança carinhosa e calma hoje quase não tem paciencia para nada e as vezes e carinhoso as vezes penso em tiralo da escola ,por outro lado penso que ele tem que se habituar pois não acontece nada de anormal na escola ela e muito acolhedora,a tia e um amor

  13. rocicle said

    Eu adorei esse texto era tudo que eu queria ler essa historia e bem parecido com que estou paasando. obrigado!!!!!

  14. Gostei muito do seu texto, sou mãe e apesar de ser coisas que devemos nos lembrar sempre , as vezes acabamos deixando de lado muitas delas…Me ajudou muito !

    (Estou começando um blog e seu texto é muito bom e interessante . Gostaria de saber se posso incluir ele em meu blog.)

  15. leticia said

    Estava navegando a procura de resposta, pq tenho um filho de 7 anos que é o filho do meio e sei que acabo tratanto ele diferente, cobro muito, não dou a atenção necessaria e isso vem me incomodando, e o seu texto me ajudou muito obrigada

  16. Suellen said

    Gostei muito do texto.. me ajudará Bastante com a minha filha..
    Muito obrigada..

  17. cirleide said

    Gostei bastante de seu texto, pois aprendi um pouco mas como devo educar meus filhos e mostra para eles o amor que sinto.

  18. Gisela said

    podem indicar algum livro para presentear uma mãe que tem 1 filho de 6a e 1 filha de 1a e meio e não está segura em lidar com as brigas e etc no dia a dia?
    agradeço.

  19. Glenda said

    estou enfrentado problemas com meu filho de 05 anos na escola, ele é uma cirança muito inteligente porém quando diz que não vai realizar a tarefa , não tem quem o faça. Cheguei a coloca-lo de castigo, tirei os brinquedos, no inicio deu certo mas ele voltou a fazer. Dei algumas palmadas para ver se resolvia, mas esta minha atitude dueu mas em mim, quand li esta reportagem vi o quanto estou indo para o caminho errado. Amo meu filho mas estou com medo de não estabelecer estes limites e respeito entre nós dois.

  20. Dentro do mesmo objetivo de gerenciar suas vidas, é natural que a formação dos filhos dos executivos, desde muito cedo, seja impactada pelo comportamento institucional de seus pais. Embora não esteja no DNA, o ambiente familiar acaba gravitando em torno da carreira profissional, fazendo surgir uma nova tribo: os filhotes institucionais.

  21. ana claudia said

    estou com dificuldades de lidar com meu filho de 5 anos ele é muito inteligente mas muito teimoso ele me agride ás vezes e me irrita também quando eu não deixo ele a vontade p fazer o q quizer,ele é um lider e autoritario ele não respeita as babas porfavor me ajude a lidar com essa fase dele ao mesmo tempo ele é muito amavel e carinhoso.

  22. estou com muita dificuldade com meu filho de 9 anos tenho um de 12 que nao me dar trabalho mais o de 9 so Deus ,sou mae e pai ao mesmo tempo . nao sei o que fazer ele vai para a escola nao faz o dever bate em outras criancas nao se comporta e agitado ele fica mais minha mae ela faz muita vontade ele fica na rua nao se compora nem um minuto mais qundo chegodo trabalho ele e outra crianca me repeita me o bedesse mais quando vou trabalhar sempre pesso que ele se comporte mais e mesmo que nada se falo para nao ir para rua ele vai se pesso para se comportar na escola ele nao se comporata nao sei o que faze eu tenho batido muito nele e colocado bastante de castigo mais nem sei o que fazer mais estou precisando de ajuda eu nao posso sair do meu trabalho pq e como cuido dele pq o pai nao e presente na vida deles entao sou eu para tudo estou desisperada em perder o meu filho para o mundo ele e amoroso carinhoso mais ao mesmo tempo ele e desobediente
    quando nao tou em casa nao sei se ele faz estas coisas para chamar minha atencao

    hoje ele fez uma coisa abisura puxou a faca para o irmao de 12 anos estou sem saber o que fazer

  23. Jean Luna said

    Olá, primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo site e principalmente pelo texo, e gostaria se possível de um auxílio referente a que medida tomar quando por exemplo, minha filha de dois anos não quer obedecer na hora de se vestir, já tentei dar a opção dela escolher a roupa, já tentei esconder brinquedos caso ela não obedeça, e até mesmo deixá-la chorando e fazendo birra para não se vestir, mas todos os métodos não surtiram efeito. Realmente estou um pouco perdido e não sei que atitude tomar, claro que este fato de não se vestir é apenas um exemplo, minha filha não obedece em diversas ocassiões. Desde já agradeço muito e mais uma vez parabéns pelo texto, acredito que a partir de hoje entendi muito mais a importância dos pais na formação dos filhos. Abs

  24. oliver said

    me socorre eu to desesperada com um filho de 7 anos;amei esse site

  25. silvia said

    meu ploblema é cm meu filho 17 anos ,nao nos obedece mais so quer saber de namorar e td e namorada nos ficamos em segundo plano na vida dele,o q devemos fazer

    agora começou mentir ou omitir nos ajude por favor.

  26. Carina said

    Mto bom, leitura gostosa, tenho dois filhos, e irá me ajudar com certeza.
    Obgda!! :-)

  27. rejane said

    Bom meu nome e Rejane tenho dois filhos um casal, minha filha me machucou muito quando soube que estava gravida ao 16 anos e logo depois engravidou novamente e hoje ela tem casal um menino de 3 anos e a menina que vai fazer 2 anos, lindos que amo muito as crianças não tem culpa. E ela está com pai dois filhos dela só que é um rapaz que não quer nada com a vida, não compra as coisas dentro de casa, sempre tenho que ficar ajudando. E no dia 28 do mês passado de madrugada vinheram me chamar dizendo que ele estava batendo nela e fui lá e fiquei muto furinhosa pois a minha filha nunca tinha apando nem do pai ei sempre coloca de castigo e eu criei minha filha com muito amor pra chegar uma cra e bater na minha menina. Más não sei onde eu errei, pois ela continua com ele, e ela se afastou de mim e hoje faz 25 dias que não a -vejo, mais sei que está bem. E isso doi é esta me manchucando muito, tentei procura-la, parece que ela não falar comigo. nen os meus netos que vinha sempre aqui em casa. hoje não vejo mais. E depois desse dia fiquei sabendo de muitas coisas que ele anda fazendo, usandodrogas, saindo com mulheres e farras e fora que ainda e agredida minha filha. não sei mais o q fazer preciso de ajuda!! estou muito mall!!!

  28. Osvaldo said

    Oi Rejane, vc deve procurar a sua filha e dar apoio incondicional… Nao fale do quanto ela esta sofrendo… E sim do quanto ela era feliz ao seu lado… Nao fale mal do mari do mas fale do s eu amor por ela e q se ela precisar vc estara ao lado dela p o que der e vier… É o marido dela q exigiu q ela se afastasse de vc….jogue o jogo dele, assim vc tera ela de volta p vc… DEUS abencoe a vc e seus entes queridos

  29. Valéria Martins said

    E quando os pais moram com seus pais que bebem, fazendo confusão por tudo e não dá para mudar o ambiente? A criança tem 7 anos, esta tendo um mal comportamento na escola (seja particular, publica e estadual), agressividade com amiguinhos, nada que fazemos para corrigi-la tem efeito. Ela tem muita auto confiança, e se comporta como se fosse uma pré-adolescente. No aguardo.

  30. Joana said

    amei o testo e vai-me ajudar bastante, para bens. Tenho dois filhas amenina de 10 meses e omenino de 06 anos. O meu problema é com meu omenino ele procura sempre chamar aminha atenção, e estas com ciumes e estou sempre em ritada com ele esto esta me deixanda mal. precisso de ajuda.

  31. Joana said

    vivo com uma ermã de 15 anos e esta dificil o nosso relacionamento ela vive reclamando nos canto e com as colegas que atrato mal e quando converso com ela nega tudo esto esta ame deixar muito triste o que faso.

  32. Caroline said

    Ótimo texto!! Me ajudou a obter mais informações na parte prática da relação entre pais e filhos, as orientações são muito válidas. AInda mais quanto aos dias de hoje, comportamaento dos pais, crianças, e o reflexo no comportamento escolar. Realmente você sintetizou questões sobre o assunto, o que me ajudou a elucidar melhor este assunto. Parabéns!

  33. Andrea said

    Gostei muito, vou aplicar na vida dos meus filhos, parabéns!

  34. rute helen said

    mim ajudou muito, com isso vou mudar meu jeito de ser com meus filhos… obrigado!

Some HTML is OK

(required)

(required, but never shared)

or, reply to this post via trackback.

Powered by WP Hashcash


Theme Tweaker by Unreal